Ñe’eng: a voz sertânica do jaguar

Ñe’eng_a voz sertânica do jaguar

Ensaio publicado na revista Crioula (USP), em 2008.

RESUMO: Em “Meu tio o Iauaretê”, conto incluído no volume Estas estórias,
de Guimarães Rosa, o homem-jaguar se constrói na confluência de inúmeros
extratos linguísticos que buscam, fracassadamente, traçar a essência de uma
identidade nacional. A fala-rugido, à medida que proseia com o visitante no
espaço sertânico, delineia também sua dissolução. Num lapso autofágico, a
fala devora a si própria. No entanto, o juaguanhenhém não traça unicamente o
dizível como um encontro com a noite e a morte, mas anuncia, na “selva” do
lógos, a descoberta de uma nomeação infante.

PALAVRAS-CHAVE: Guimarães Rosa, conto, semiótica, identidade nacional

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Ensaios

2 Respostas para “Ñe’eng: a voz sertânica do jaguar

  1. Salve, Leonardo! Bom ter notícias tuas. E que ótima iniciativa de disponibilizar A Flor no Rosto por aqui.
    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s